Hobart Tasmania Australia16

Hobart, modernidade e heranças coloniais

Espalhada sobre sete colinas entre as margens do rio Derwent e o cume do Mount Wellington, Hobart, a segunda cidade mais antiga da Austrália, está localizada à beira-mar, assim como sua “irmã mais velha”, Sidney. A parte chamada de Sullivan’s Cove é o centro desta capital cosmopolita, e vai do Old Warf (antigo cais) até a vila de pescadores Battery Point, coração histórico da cidade que possui cerca de 90 prédios coloniais tombados pelo Tesouro Nacional.

Panorama de Mount Welling, em Hobart.

Panorama de Mount Welling, em Hobart.

Atrações turísticas

Battery Point: As construções mais antigas da colônia, reconvertidas em lanchonetes, bares, pubs, restaurantes e galerias de arte, estão em Battery Point, uma vila à beira-mar que conservada suas ruas estreitas, iluminadas a gás. As principais construções do estilo georgiano estão nas ruas Davey e Macquarie, com destaque para a Casa do Parlamento, o Teatro Real – o mais antigo da Austrália -, e o complexo de edifícios que abriga a penitenciária Chapel e a Corte Criminal, com passagens subterrâneas, celas isoladas e um pátio de execuções.

Castray Esplanade: A Castray Esplanade foi originalmente planejada no século 19 como um calçadão ao longo do rio, e é até hoje um dos melhores lugares da cidade para caminhada. As Commissariat Stores, lojas do período colonial, ficam ao longo do trajeto. Elas foram restauradas e hoje abrigam residências, escritórios e galerias de arte.

Constitution Dock: Este é o principal porto de barcos de pesca e iates, e também o ponto de chegada da corrida de iates de Sidney a Hobart (Sydney to Hobart Yatch Race). Anualmente, essa corrida atrai competidores do mundo inteiro, que saem de Sidney e chegam à cidade a tempo de comemorar o Reveillon.

Mount Wellington: Mount Wellington está localizado em uma área de lazer, a meia hora do centro de Hobart. No alto dos seus 1.270 metros, tem-se uma vista panorâmica sobre a cidade e as redondezas. No parque existem instalações para piquenique e churrasco, assim como trilhas para caminhar em meio às colinas. Há ainda opções para andar de bicicleta, a cavalo ou fazer rapel.

Museu de Tasmânia e a Galeria de Arte: Num antigo edifício de 1863 funciona o Museu e a Galeria de Arte da Tasmânia. O acervo inclui gravuras antigas, pinturas e amostras de plantas nativas. Destaque para a excelente coleção de arte aborígene e peças da época da colônia.

Port Arthur: Port Arthur está localizada numa zona originalmente habitada pelo povo Pyderrairme, ao sudeste de Hobart, mas que, a partir de 1833, foi transformada num estabelecimento prisional construído para abrigar os “piores criminosos do império”. Torturas, chicotadas, semanas de isolamento em celas escuras e alimentação precária era o que podia esperar quem fosse para lá. Hoje, os 400 mil metros quadrados da antiga penitenciária são uma das jóias turísticas da Tasmânia, e atrai milhares de pessoas às numerosas edificações coloniais como a restaurada Model Prision ou o Lunatic Asylum, convertido em museu.

Salamanca Place: As primeiras indústrias da colônia deram lugar ao bairro mais animado e criativo de Hobart. Os armazéns foram convertidos em galerias de arte e antiquários. O Salamanca Arts Centre também oferece ateliês de artistas contemporâneos, teatros, galerias de exposições e os melhores pubs e restaurantes da cidade. O auge da movimentação acontece aos sábados de manhã, com o Salamanca Market, um mercado que vende obras de arte, artesanato e alimentos frescos, e onde também é possível assistir apresentações de jazz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *